Sou praticante de esporte radical e quero adquirir um seguro de vida. É possível?

Criar barreiras para a prática de esportes radicais não é mais moda. A moda agora é estar protegido contra qualquer tipo de acidente. É isso o que preconiza o artigo 799 da Lei 10.406/2002.

De acordo com o artigo 799, toda e qualquer seguradora tem obrigação de pagar o prêmio do seguro de vida em caso de acidentes ocorridos durante a prática de esportes radicais, mas se você prefere não ter dor de cabeça, o melhor é buscar uma seguradora especializada em seguros de vida para esportistas radicais.

Há alguns anos estas empresas perceberam este nicho de mercado que cresce aproximadamente 20% ao ano, com esportistas que gostam de ir além dos limites e superar obstáculos, mas que não estavam amparados por um seguro que lhes possibilitasse um divertimento com muito mais tranquilidade. Sabiamente, iniciou-se um negócio que visa não só assegurar a tranquilidade do esportista, como também da família, que se preocupa e fica desamparada em momentos de acidentes fatais.

Para aderir a um seguro de vida como este, você deve procurar uma empresa que oferte este tipo de seguro e discutir os termos do contrato, verificando se as cláusulas estão dentro do que você espera. Dentre os muitos requisitos que você pode observar no momento da contratação do seu seguro de vida, poderá encontrar cláusulas que falem sobre a qualidade do seu equipamento, os itens de segurança utilizados e o acompanhamento de uma equipe qualificada para a prática do esporte. Ou seja, a seguradora quer ter a certeza de que você não está agindo irresponsavelmente, pois se assim for não há porquê ela correr o risco de ter você como segurado.

Tendo todos os requisitos necessários, você adere a uma apólice de riscos agravados, que pode ir desde a cobertura de morte e/ou invalidez até cobertura de despesas médicas em caso de acidentes não fatais. Sua família fica mais tranquila e você pratica seu esporte com muito mais responsabilidade e segurança.

Para saber quanto custará a sua apólice de riscos agravados, primeiramente você terá que indicar para a seguradora qual esporte pratica, e em quais condições. A partir daí a seguradora avalia os riscos da sua atividade e estipula tanto o valor mensal a pagar quanto o valor do prêmio em caso de utilização do seguro.

Por que não são todas as empresas que cobrem acidentes por esportes radicais?

Muitas empresas consideram que o risco de morte é muito alto em determinadas atividades, como paraquedismo, montanhismo e semelhantes, por isso, não querem se preocupar com a possibilidade de virem a ter que pagar o prêmio por algo “já previsto”. Contudo, se você já possui um seguro de vida individual, a empresa é obrigada a realizar o pagamento dos valores estipulados tanto em acidentes fatais quanto não fatais, pois é o que determina a lei. Caso não seja possível resolver amigavelmente a questão, é preciso entrar na justiça e solicitar o cumprimento do contrato.

Chegando ao final da nossa conversa, e para esclarecer de vez a sua dúvida, fique tranquilo, pois todo praticante de esportes radicais pode e deve ter um seguro de vida. Basta buscar a empresa certa e ter todos os equipamentos e acessórios em dia para a prática do seu esporte!

Newsletter